quarta-feira, 28 de junho de 2017

Polícia Militar prende em meia hora faxineira e companheiro que mataram tenente em Montes Claros

A mentora do crime, foi a sua faxineira Gabriela Pereira Oliveira de 24 anos natural de Atibaia -São Paulo







Foto: Gissele Niza



Uma mulher de 24 anos e um homem de 21 foram presos,  na noite desta terça-feira (28), na BR-365, logo após roubarem e matarem um tenente aposentado da Polícia Militar, de 77 anos, dentro da própria casa da vítima, no bairro Santa Rita, em Montes Claros.
Gabriela de Oliveira Pereira, se passou por faxineira e prestava serviço há três dias para o militar. A mulher já conhecendo a rotina do policial, planejou o crime ao lado do namorado, Carlos Eduardo Jansen Fagundes Souza. 
Quando a vítima, o II tenente Juvenal Afonso de Araújo chegou em casa, foi surpreendido com a presença do homem no local, que anunciou o assalto e amarrou o tenente, que conseguiu se soltar e entrou em luta corporal com o homem que estava com a arma do PM e atirou contra ele.
Segundo o Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (Samu), ele foi atingido por vários disparos na região do tórax, pescoço e costas.
No momento da chegada da equipe, o militar estava em parada cardiorrespiratória e precisou ser reanimado por diversas vezes. Ele foi encaminhado a Santa Casa, em estado grave, mas não resistiu.
Polícia Militar
O trabalho da Polícia Militar foi fundamental para desvendar este crime. Os militares foram acionados por volta de 22h informados de que a residência do militar havia sido assaltada, que ele teria sido baleado e os autores fugido no veículo da vítima.
De acordo com o Tenente Welson, rapidamente a PM montou uma operação.
“Todas as viaturas do turno de dividiram, alguns foram até o local para obter mais dados para que pudéssemos encontrar os indivíduos vistos pelas câmeras de segurança. Confirmamos os disparos e foi realizado a operação de cerco e bloqueio, aproximadamente 30 minutos após o crime, a guarnição identificou o veículo, na BR-365, ainda no bairro São Geraldo II, sentido Pirapora e iniciou-se a perseguição”, completa.
No momento da fuga, a mulher chegou a efetuar diversos disparos em direção a viatura que revidou a ação.
“Eles evadiram com o veículo em alta velocidade e a mulher efetuou os disparos, ainda não sabemos quantos e ela também não soube dizer, mas a perícia irá confirmar”, explica o tenente.
Ao perceber que não teria saída, a mulher tentou ainda se passar por vítima.
“A autora saiu do veículo com as mãos para cima afirmando que seria refém, mas logo em seguida ele saiu também com as mãos para cima e tínhamos certeza que eles eram os autores”, completa o militar.
Os disparos não deixaram feridos e tanto com o carro da vítima, quanto a viatura ficaram danificados.
A arma
A arma utilizada no crime foi um revólver calibre .38 do militar. Na fuga, Gabriela Pereira tentou se livrar do objeto.
“Ela dispensou a arma de fogo e uma canaleta às margens da rodovia, mas ela foi localizada e acionamos a perícia”, disse o tenente.
De acordo com a PM, o revólver estava com nove munições, sendo cinco deflagradas.
Perfil
Com os três dias de serviço a mulher conhecia toda a rotina do militar aposentado.
“Ela planejou o crime com o namorado a fim de obter vantagem financeira e ceifar a vida do II tenente”, diz o policial.
Gabriela Pereira é natural de Atibaia, São Paulo e é divorciada há aproximadamente um ano de um homem de origem árabe, tanto que no documento de identidade ela usava um véu islâmico.
“Ela e o autor se conheceram há aproximadamente quatro meses na cidade de São Paulo, onde o autor estava preso. Logo após ele sair da cadeia, fez contato com ela e vieram para Montes Claros há aproximadamente três meses  moravam no bairro residencial sul”, explicou o tenente.
Carlos Eduardo, natural de Montes Claros, morava em São Paulo, onde foi preso por tráfico de drogas, mas na terra natal ele possui passagem por receptação e foi ele quem atirou contra o militar. A polícia acredita que ele estaja envolvido em outros crimes.
A faxineira chegou até a casa do militar após candidatar-se a uma vaga que era para a casa do tenente.
A mulher confessou todo o crime e o homem manteve-se calado. Os dois foram encaminhados à delegacia de plantão
Perda
A Polícia Militar de Montes Claros declarou que este é um momento de luto para corporação.
“Um irmão de farda, uma perda irreparável. Para corporação a data de hoje é considerada um luto. Em Montes Claros os militares estão sentidos, infelizmente mesmo tendo obtido êxito em prender os autores e recuperar os bens, nada disso paga essa vida que foi tirada, realmente foi uma grande perda”, completa o tenente Welson.
O horário e local do velório ainda não foram divulgados assim como o enterro.
Cuidados
Um dos meios mais utilizados para contratação de serviços é a internet. Atualmente vários grupos são utilizados para quem procura o serviço e quem quer contratar. Entre eles, está o S.OS. Patroas.
Uma das administradoras, a advogada Juliana Souto Ferreira, conta que o grupo funciona por indicação.
“As pessoas auto se indicam ou indicam alguém quando uma pessoa pergunta por diarista, não temos como conhecer os membros e nas regras do grupo colocamos que não temos contratações, é apenas uma forma de facilitar quem procura pelo serviço”, completa.
A advogada, conta ainda que sempre fazem recomendações aos membros.
“Recomendamos que as pessoas confiram as indicações, porque sabemos que pode ter indicação falsa, é importante sempre entrar em contato com quem indicou, procurar registros policiais, entre outros. O serviço mais problemático é o doméstico porque envolve confiança”, completa.
O grupo não é uma agência, é apenas para troca de informações e é preciso atenção a todos que utilizam este meio.

http://webterra.com.br/noticia/11295/policia-militar-prende-em-meia-hora-faxineira-e-companheiro-que-mataram-tenente-em-montes-claros


video

Carlos Eduardo de 21 anos, natural de Montes Claros






Nenhum comentário:

Postar um comentário